25 de fevereiro de 2024 - SOCIEDADE DE CARDIOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
COMPARTILHE:                          COMPARTILHE:

SÓDIO


 A restrição de sódio na dieta é um tratamento não farmacológico comum para pacientes com IC sintomáticos com congestão, mas recomendações específicas foram baseadas em evidências de baixa qualidade. A American Heart Association (AHA) atualmente recomenda uma redução da ingestão de sódio < 2300 mg/dia para promoção geral da saúde cardiovascular, no entanto, não há estudos para apoiar esse nível de restrição para pacientes com IC (5). 

A restrição severa de sódio pode aumentar a ativação do Sistema Renina-Angiotensina-Aldosterona (SRRA), levando ao agravamento da IC, além de resultar em má qualidade da dieta com ingestão inadequada de macronutrientes e micronutrientes, podendo associar-se a um pior prognóstico (5-6-7). Estudos mostraram que intervenção conduzida por nutricionista, com restrição de sódio de 2 a 3 g/dia melhorou a classe funcional da New York Heart Association (NYHA ) e o edema de membros inferiores em pacientes com ICFEr. A adoção de um padrão alimentar saudável, como a dieta DASH ou dieta Mediterrânea, ricas em antioxidantes e potássio, seria indicada para atingir a restrição de sódio sem comprometer a adequação nutricional, sendo associada à redução nas hospitalizações por IC (7-8). 

A Diretriz Brasileira (1) recomenda o uso de 7g sal para pacientes com IC crônica, mas não traz recomendações sobre o consumo de sal para pacientes em IC aguda. Na maioria dos serviços hospitalares, com base na prática clínica, prevalece o uso de dieta hipossódica (2g de sal/dia) para os pacientes descompensados (9).

BUSCA EM NOTÍCIAS




Siga-nos