17 de julho de 2024 - SOCIEDADE DE CARDIOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
COMPARTILHE:                          COMPARTILHE:

CARDIOLOGISTAS FAZEM AVALIAÇÃO DE SAÚDE DO PAPAI NOEL E LANÇAM CAMPANHA DE PREVENÇÃO


A SOCESP alerta os idosos sobre a importância de evitar os fatores de risco para o coração e manter hábitos saudáveis. O principal personagem das festas natalinas auxilia na promoção de uma mensagem mais acessível ao público

A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo – SOCESP – promove uma campanha para alertar sobre a importância de manter hábitos saudáveis durante a pandemia e também quando o Covid-19 passar. Para isso, a entidade, de forma inédita, organizou uma junta médica e de profissionais de saúde para hipoteticamente avaliar a saúde do Papai Noel. “Fizemos um exercício de diagnóstico terapêutico e projeções para analisar como anda a saúde do Bom Velhinho e indicamos algumas sugestões para melhorar”, conta o presidente da SOCESP, João Fernando Monteiro Ferreira. O cardiologista destaca que a doença cardiovascular é a principal causa de mortes no Brasil, com cerca de 400 mil todos os anos. “Precisamos ser criativos para que a nossa mensagem chegue a todo o tipo de público, dos mais escolarizados aos que não têm quase instrução, entre crianças, jovens, adultos e idosos. Nada melhor do que nos apropriarmos de um personagem tão carismático e conhecido”, completou.

Os médicos da SOCESP ‘constataram’ que a saúde do Papai Noel não estava tão bem. “Idoso, obeso, não praticante de atividades físicas regulares e que só sai da Lapônia uma vez por ano. Admirador de comidas hipercalóricas, comuns nas ceias de Natal, e com indícios de apneia do sono, provavelmente com colesterol alto e pressão arterial sem controle”, conta o diretor da SOCESP, Ricardo Pavanello que, junto com os colegas, traçou um perfil de paciente para o Papai Noel. 

A preocupação dos cardiologistas e profissionais da saúde da SOCESP não é infundada e bastante comum, já que 62% dos homens e 67,4% das mulheres declaram ter hipertensão e 23,2% e 36,9% de homens e mulheres, respectivamente, afirmaram ter colesterol alto, segundo dados da Sociedade de Cardiologia. O infarto agudo do miocárdio (IAM) e os acidentes vasculares cerebrais (AVC) constituem a principal causa de morte da população idosa: 34,2% e 35,2% dos óbitos masculinos e femininos, respectivamente.

As doenças cardiovasculares podem ser prevenidas ou controladas com alimentação adequada e baixo consumo de sal, para diminuir o risco de hipertensão, por exemplo. Por isso, as recomendações da SOCESP, com apoio do Departamento de Nutrição, para o Bom Velhinho incluem a adoção de uma dieta saudável e balanceada, com mais frutas, verduras, legumes e carnes magras; carnes muito gordurosas devem ser evitadas, assim como o excesso de doce porque uma pessoa acima de 65 anos tem mais chance de desenvolver o diabetes: um a cada cinco idosos tem diabetes; prática de exercícios leves e contínuos como caminhadas diárias; “e, por fim, sempre visitar o seu cardiologista, na Lapônia, antes de embarcar no trenó”, completa Ricardo Pavanello, fazendo uma alusão às viagens aéreas e a importância das consultas. 

As orientações ao Papai Noel também valem para a Mamãe Noel, afinal as mulheres estão mais sujeitas às doenças cardiovasculares. “O risco de óbito por infarto é 50% maior do que para homens e uma em cada cinco mulheres está sujeita a sofrer um infarto. Dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) assinalam as doenças cardiovasculares como responsáveis por 1/3 de todas as mortes de mulheres no mundo, o equivalente a mais de 23 mil por dia”, lembra a diretora da SOCESP, Lilia Nigro Maia, integrante do Grupo SOCESP Mulher. Estatísticas da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo atestam que, em 60 anos, a proporção de mortes por doenças cardiovasculares em mulheres no Brasil aumentou 37%. Além disso, idosas têm 81,2% de chance de contrair alguma doença, enquanto para idosos do sexo masculino essa possibilidade é de 73,1%.


Preparo físico de Noel

O assessor científico da SOCESP, Nabil Ghorayeb, que é especialista em Cardiologia e Medicina do Esporte, preparou as recomendações de atividades físicas ao Bom Velhinho, juntamente com o Departamento de Educação Física da SOCESP. “Exercícios regulares, pelo menos cinco vezes por semana e por, no mínimo, meia hora é indicado para pessoas na terceira idade, mesmo com temperaturas mais baixas, como ocorre na Lapônia. É possível praticar esportes indoor, como Pilates, alongamento e bicicleta ergométrica”, afirma Ghorayeb. “E nos dias de temperaturas mais amenas, como estamos vivendo aqui no Brasil, os idosos podem se espelhar nas dicas que demos ao Papai Noel e aproveitar para caminhadas ao ar livre, no caso dele, com direito à companhia das renas, inclusive para tomar um pouco de sol – quando ele aparece por aquelas bandas – e os consequentes benefícios da Vitamina D”.


O bom exemplo 

“Por conta da pandemia do novo coronavírus e, principalmente por ser do grupo de risco, Noel – que já não é muito afeito a aparecer antes da hora – se manteve em isolamento social para não correr riscos de pegar Covid-19 e estragar o Natal de tanta gente que espera sua visita”, uma atitude que merece aplausos, nos dias de hoje, brinca o cardiologista Ricardo Pavanello. E completa: “agora para as Festas ele sairá de casa devidamente paramentado, com máscara e litros de álcool gel no trenó, cumprindo todos os protocolos de segurança sanitária”.



BUSCA EM NOTÍCIAS




Siga-nos