CONCEITOS SOBRE DOENÇA ATEROSCLERÓTICA NA MULHER: UMA BREVE REVISÃO

CONCEPTS OF ATHEROSCLEROTIC DISEASE IN WOMEN: A BRIEF REVIEW
Fabiana Hanna Rached, Alan Andrade, Pedro Santana, Antonio Carlos Palandri Chagas

A doença cardiovascular constitui a principal causa de morte na mulher e a incidência de doença aterosclerótica aumenta de forma dramática na mulher de meia-idade, particularmente no período de transição para a menopausa, considerada um fator de risco cardiovascular acelerado. Dessa forma, esse momento deve ser encarado como uma janela crítica para a implementação de estratégias de intervenção precoce para reduzir o risco cardiovascular. Infelizmente, o risco de doença cardiovascular na mulher não tem sido adequadamente identificado e valorizado, de acordo com as peculiaridades relacionadas a sexo, gênero e patologias específicas da mulher. Os escores clássicos de risco cardiovascular não estão adaptados à mulher e seu risco é apenas adiado em 10 anos. Assim, para além dos principais fatores de risco cardiovascular clássicos, devem ser pesquisadas todas as condições clínicas exclusivas da mulher, associadas ao aumento e, por vezes, ao início precoce de doenças cardiovasculares. Com frequência, os sintomas de doença coronária na mulher tendem a ser atípicos, o que dificulta o diagnóstico e atrasa a instituição do tratamento. Desta forma, perante a suspeita de doença coronária aterosclerótica, as mulheres devem ser cuidadosamente investigadas. Observamos que as mulheres apresentam de forma geral menor carga aterosclerótica total e menor carga aterosclerótica não calcificada quando comparadas aos homens. Na síndrome coronariana aguda, o mecanismo mais frequentemente observado em mulheres é a erosão da placa aterosclerótica, e não a ruptura desta. Precisamos, assim, construir um novo paradigma para a melhoria da qualidade da saúde cardiovascular da mulher com um novo olhar que vá além da abordagem clássica, capaz de integrar todas as especificidades relacionadas com o sexo e o gênero. 


VOLUME 33 - Nº 4

Outubro/Dezembro 2023

ISSN 0103-8559 - Versão impressa
ISSN 2595-4644 - Versão online